Entidades Sem Fins Lucrativos

Escritório de Contabilidade

Compartilhar

Compartilhe no facebook
Compartilhe no linkedin
Compartilhe no whatsapp
Compartilhe no email

A NBC-T-10.19 (Norma Brasileira de Contabilidade – Técnica) que engloba as Empresas sem fins lucrativos do qual estabelece critérios e procedimentos específicos de avaliação, de registros dos componentes e variações patrimoniais e de estruturação das demonstrações contábeis, e as informações mínimas a serem divulgadas em nota explicativa das entidades sem finalidades de lucros.

Essas entidades são aquelas em que o resultado positivo não é destinado aos detentores do patrimônio líquido e o lucro ou prejuízo são denominados, respectivamente, de superávit ou déficit.

São constituídas sob a forma de fundações públicas ou privadas, ou sociedades civis, nas categorias de entidades sindicais, culturais, associações de classe, partidos políticos, ordem dos advogados, conselhos federais, regionais e seccionais de profissões liberais, clubes esportivos não-comerciais e outras entidades. Aplicam-se à essas entidades os Princípios Fundamentais de Contabilidade, Normas Brasileiras de Contabilidade e suas Interpretações Técnicas e Comunicados Técnicos, editados pelo Conselho Federal de Contabilidade.

Se aplicam também no que couber, as diretrizes da NBC T 10.4 – Fundações e NBC T 10.18 – Entidades Sindicais e Associações de Classe. As receitas e despesas devem ser reconhecidas, mensalmente, respeitando os Princípios Fundamentais de Contabilidade, em especial os Princípios da Oportunidade e da Competência. Essas Entidades devem constituir provisão em montante suficiente para cobrir as perdas esperadas, com base em estimativa de seus prováveis valores de realização, e baixar os valores prescritos, incobráveis e anistiados.

Doações, subvenções e contribuições para custeio são contabilizadas em contas de receita. As doações, subvenções e contribuições patrimoniais, inclusive as arrecadadas na constituição da entidade, são contabilizadas no patrimônio social, essas contas devem ser registradas contabilmente mediante a documento hábil. Os registros contábeis devem evidenciar as contas de receitas e despesas, superávit ou déficit, de forma segregada, quando identificáveis por tipo de atividade, tais como educação, saúde, assistência social, técnico-científica e outras, bem como, comercial, industrial ou de prestação de serviços. As receitas de doações, subvenções e contribuições recebidas para aplicação específica, mediante constituição ou não de fundos, devem ser registradas em contas próprias segregadas das demais contas da entidade.

O valor do superávit ou déficit do exercício deve ser registrado na conta Superávit ou Déficit do Exercício enquanto não aprovado pela assembleia dos associados e após a sua aprovação, deve ser transferido para a conta Patrimônio Social.

Na aplicação das normas contábeis, em especial a NBC T 3, a conta Capital deve ser substituída por Patrimônio Social, integrante do grupo Patrimônio Líquido, e a conta Lucros ou Prejuízos Acumulados por Superávit ou Déficit do Exercício.

 

 

Matérias relacionadas

Notícia

Livro sobre a Reforma Tributária!

Nosso sócio Renato Barbosa Silva, publicou o Livro sobre o tema “Tributos no Brasil e a Reforma Tributária”. Um verdadeiro guia sobre a importância dos

Notícia

DIRF 2024

DIRF 2024 prazo termina amanhã, 29 de fevereiro! O ano de 2024 é o último de apresentação da Declaração do Imposto sobre a Renda Retido

Precisa falar com um especialista?

Entre em contato através do botão ao lado e receba rapidamente seu orçamento personalizado, com os melhores prazos do mercado!

×